COMO ESCOLHER BEM UM SOFTWARE?

Skip to content

COMO ESCOLHER BEM UM SOFTWARE?

Pesquisas atuais indicam sempre os mesmos resultados. Os fatores determinantes para projetos de ERP/CRM bem-sucedidos são sobre os seus clientes, o seu capital humano, a sua organização e os seus processos empresariais. E sobre a gestão de todos os processos de mudança associados. Mas NÃO sobre tecnologia! Surpreendentemente, porém, a maioria dos questionários e dos Pedidos de Informação (AKA RFIs) ainda são principalmente sobre funções e características. Está na hora de expandir horizontes!

A convicção de que um ERP/CRM é uma ferramenta de que as empresas e os seus clientes podem beneficiar tem ecoado em quase todas as salas de reuniões nos dias de hoje. No entanto, se algum sucesso é realmente alcançado, depende principalmente da organização interna. De que outra forma podemos explicar que uma empresa é duramente atingida por uma implementação mal sucedida enquanto a outra organização é bem sucedida (parcialmente) devido a esse mesmo sistema? Potencialmente com a mesma versão. Implementado pelo mesmo parceiro com a mesma equipa de consultores.

 

O apoio e compromisso regular por parte da gestão de topo acaba por ser, repetidamente, o fator crítico. Equipas de gestão que viram as costas ao projeto assim que as negociações de preços terminaram, acabam com projetos de baixa qualidade. A atitude perante a gestão da mudança é de uma crucial importância. A par do nível de qualidade, há fatores a ter em conta, nomeadamente identificar os key users e o gestor de projeto.

 

Parece-lhe familiar, certo? E depois há ainda aspetos relacionados com a qualidade das profissionais da sua organização, ou a predisposição para a mudança, que quase nunca são abordados na maioria das RFIs. E se o forem, irão certamente lidar com a qualidade do seu parceiro. Isto é relevante, sem dúvida, mas ser crítico em relação aos seus colaboradores é igualmente importante! A muitos vendedores ainda falta a coragem de lidar com este assunto atempadamente. Só serão discutidas estas questões quando o projeto falhar. Assim que estiver frente-a-frente com um cliente zangado, encurralado entre o seu consultor jurídico e uma pilha de faturas por pagar. Mas até lá, o dano já foi feito!

 

Enquanto parceiro tecnológico, podemos ajudá-lo a mapear riscos relativos à qualidade dos seus colaboradores. Além disso, conhecemos as possibilidades de soluções, tais como a contratação de um líder de projeto externo experiente. Ou concentrar a atenção da sua gestão no projeto. A única coisa que precisa de fazer para isso é fazer as perguntas certas no seu RFI, o que tornará estes tópicos menos sensíveis e mais fáceis de tratar.

Admitido, é uma categoria de perguntas ligeiramente diferente daquelas que provavelmente está habituado a fazer. Mas prestar atenção à sua relevância para o sucesso do seu próximo projeto valerá certamente a pena!